Rua Helena, 170 - conj. 23/ 24 - Vila Olímpia - 04552-050 - São Paulo - SP
(11) 5081-5351 ou (11) 5081-7951

Cerca de 40% dos resíduos urbanos no Brasil ainda vão para lixões e locais impróprios

Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes

Created with Sketch.

No último ano, 3,3 mil municípios brasileiros despejaram mais de 29 milhões de toneladas de resíduos em vazadouros a céu aberto.

Do total de resíduos urbanos coletados no País no último ano,  41,6% ainda são destinados de forma ilegal em lixões e em locais impróprios. O dado é fruto de um levantamento conjunto da Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (Abetre), do Sindicato das Empresas de Limpeza Urbana no Estado de SP (Selur), da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe) e da Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública (ABLP).

Segundo o levantamento,  cerca de 3,3 mil municípios brasileiros despejaram no último ano mais de 29 milhões de toneladas de resíduos em vazadouros a céu aberto e nos chamados “aterros controlados”, que não possuem o conjunto de sistemas e medidas necessários para proteção do meio ambiente contra danos e degradações.

O mapeamento mostra ainda que os recursos aplicados pelos municípios em 2016 para fazer frente a todos os serviços de limpeza urbana no Brasil foram, em média, de cerca de R$ 9,92 mensais por habitante, uma queda de 0,7% em relação a 2015, não considerando o volume destinado de forma inadequada.

Para Carlos Fernandes, presidente da Abetre, o cenário mostra que problema da limpeza pública é mais uma questão econômica do que meramente ambiental. “É fundamental que as prefeituras adotem medidas que garantam a sustentabilidade financeira para a gestão do resíduo, como sistemas de arrecadação específica e modelos de receita vinculada”, diz.