Rua Helena, 170 - conj. 23/ 24 - Vila Olímpia - 04552-050 - São Paulo - SP
(11) 5081-5351 ou (11) 5081-7951

Governo participa de inauguração de aterro sanitário em Vilhena

Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes

Created with Sketch.

Vilhena é o primeiro município rondoniense com aterro sanitário da iniciativa privada. A inauguração do empreendimento foi realizada no último sábado (20), com a presença do governador Confúcio Moura e dos secretários de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), Nanci Rodrigues e Francisco Sales, do prefeito José Rover e do presidente da Câmara Municipal, Vanderlei Grainpin e o secretário municipal de Meio Ambiente, Arlindo de Souza, o deputado estadual Luizinho Goebel, entre outras autoridades.

De propriedade de Fausto Moura, a MVM – Construções Ambientais e Saneamento, conhecida como Central de Destinação de Resíduos 2 Irmãos (CDR 2 Irmãos), fez um investimento de cinco milhões em Vilhena e vai absorver todo o lixo produzido pelo Cone Sul pelos próximos 50 anos, além de gerar  pelo menos  70 empregos diretos.

Fausto Moura deu os primeiros passos da empresa em 2011, neste período fez estudos, elaborou projetos até obter da Sedam e demais órgãos envolvidos a anuência para iniciar a construção, ora consolidada com o recebimento da Licença de Operação, documento entregue no ato da inauguração pela secretária titular da Sedam e pelo governador Confúcio Moura. “A empresa está apta para funcionar”, destacou Nanci.

Ao falar no evento, o governador destacou a importância que  prefeitos e  vereadores de municípios vizinhos deram à inauguração, uma vez que todos que ainda não providenciaram a instalação do aterro sanitário, em substituição aos lixões a céu aberto, têm menos de um ano para atender a legislação.  “A história dos lixões é algo extremamente constrangedor em nosso País”, ressaltou Confúcio Moura, que quando prefeito de Ariquemes, foi o primeiro gestor no Estado a aceitar o desafio e por fim ao lixão, criando o aterro sanitário municipal. 

“O lixo é um desafio mundial, mas iniciativas de empreendedores como Fausto Moura nos animam”, salientou Moura.  A prefeitura terá que pagar pelos serviços e o governador  disse que é importante  a população ser conscientizada de  que esta terá que dar a  sua contribuição, uma vez que não há outras fontes de recursos disponíveis. “No princípio, é certo que haverá uma grande quantidade de críticas, mas quando o pessoal perceber os inúmeros benefícios vai agradecer”.   Confúcio lembrou ao prefeito Rover que quem produz mais lixo, também deve pagar proporcionalmente. 

O prefeito José Rover fez pelo menos dois anúncios que arrancou aplausos do público presente a inauguração do aterro sanitário, a saber: a revitalização da área onde funcionava o lixão da cidade e a doação de um ônibus para o transporte dos catadores, através da Coop-Camaro, cooperativa que agrega a classe.    

Texto: Alice Thomaz
Fotos: Marcos Freire
Fonte: Decom

Fonte: DECOM – Departamento de Comunicação Social