Rua Helena, 170 - conj. 23/ 24 - Vila Olímpia - 04552-050 - São Paulo - SP
(11) 5081-5351 ou (11) 5081-7951

Cetrel obtém R$ 130 milhões para pesquisa em resíduos

Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes

Created with Sketch.

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) autorizou, na sexta-feira, a liberação de um empréstimo de R$ 130 milhões para a empresa baiana Cetrel, controlada pela Braskem (grupo Odebrecht) e responsável pelo tratamento da água e dos resíduos sólidos do Polo Industrial de Camaçari, na região metropolitana de Salvador. Trata-se do maior valor já financiado pelo órgão federal a uma empresa de engenharia ambiental.

Os recursos serão utilizados no desenvolvimento de projetos que visam a utilização de resíduos industriais como matéria-prima para a fabricação de uma série produtos voltados a setores como construção civil e infraestrutura, por exemplo. Um dos destaques é a chamada “madeira plástica”, produzida pela combinação de resíduos da indústria petroquímica e de papel e celulose, e que pode substituir a madeira tradicional em uma série de aplicações.

Segundo Alexandre Machado, líder de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Cetrel, outro projeto contemplado pelo financiamento visa a produção de asfalto e concreto sustentáveis a partir dos “resíduos particulados”, nome técnico para as montanhas de pedras e rochas descartadas pela construção civil. O asfalto também pode ser composto por pneus usados e sacolas plásticas, explica o especialista.

A ideia da empresa é montar fábricas itinerantes, que vão se instalar próximas às fontes de matéria-prima, no caso, os polos industriais. As primeiras unidades serão inauguradas já no ano que vem no polo de Camaçari. Também está prevista uma unidade em Porto Alegre, onde haverá uma operação de reaproveitamento de metais preciosos a partir da moagem de eletroeletrônicos descartados.

A Cetrel desenvolverá ainda um projeto de coleta do enxofre presente em uma série de materiais descartados pelas indústrias. A empresa irá retirar o enxofre para posterior comercialização. “Como a venda desses produtos, bem como toda a parte de logística das matérias-primas, não faz parte do nosso negócio principal, estamos em busca de parceiros”, afirmou Machado.

Também foram contemplados no financiamento da Finep projetos voltados à gestão e reuso de água em polos industriais. A Cetrel dará contrapartida de 10% ao valor do financiamento

Por: Murillo Camarotto – Do Recife

Fonte: Valor Econômico – SP – 5/12/2011 pág: B13